3 pessoas que tentaram falsificar as próprias mortes (sem sucesso)

fake death

Não é comum encontrar por aí alguém que conseguiu falsificar a própria morte. Afinal, se uma pessoa conseguir fazer isso com sucesso, o correto é que se pense que ela continua morta. E por mais mórbido que esse assunto pareça, o interesse em torno dele é grande a tal ponto que existem vários livros inteiramente dedicados a pessoas que querer desaparecer completamente.

É uma pena que nós nunca vamos chegar a saber quantos indivíduos realmente conseguiram convencer todo mundo de suas mortes apenas para começar outra vida, com outra identidade. Teremos, então, que nos contentar com as pessoas tentaram a façanha mas acabaram com resultados um tanto menos satisfatórios.

3 – Timothy Dexter, o cara que pagou pra ver

Timothy_DexterSabe aquelas pessoas ricas, mas tão ricas que simplesmente se cansam por não ter nenhum desafio na vida? Timothy Dexter foi uma dessas pessoas durante o século 18. A sua noção de lazer incluía escrever um livro sem pontuação alguma, dizer aos vizinhos que sua esposa havia morrido (quando ela ainda estava bem viva), construir um mausoléu para ele mesmo e colecionar estátuas de madeira de homens famosos (incluindo George Washington, Napoleão Bonaparte, Thomas Jefferson e… O próprio Timothy Dexter).

Mas, com certeza, a atitude mais estranha que o senhor Dexter teve foi decidir forjar a própria morte para ver como as pessoas iriam reagir. Cerca de três mil pessoas compareceram ao falso velório, mas um detalhe o deixou encucado: ele não viu sua esposa chorar. Sim, aquela mesma que ele viva dizendo que estava morta – não é preciso muito esforço para deduzir que o casamento não ia bem. Ainda assim, como num filme de terror, Dexter voltou dos mortos e açoitou a coitada por não ter ficado triste o suficiente.

2 – John Stonehouse, o político fujão

John-Stonehouse

Ninguém gosta de passar por problemas financeiros, e o britânico John Stonehouse gostava menos ainda. Tanto que, em 20 de novembro de 1974, ele decidiu deixar tudo para trás (as dívidas e a esposa) para viver com a amante Sheila Buckley, com quem mais tarde se casaria. Seu plano para iniciar a vida nova? Falsificar a própria morte e fugir para a Austrália. Não foi a primeira nem última vez que o mundo viu um político fugindo de suas responsabilidades.

A ideia de Stonehouse deu certo por cerca por cerca de um mês. No dia 20 de novembro de 1974 ele deixou algumas roupas numa praia de Miami, o que fez todo mundo achar que ele tinha morrido afogado – fizeram até obituários. No entanto, as transações financeiras que ele fazia sob um nome falso acabaram chamando a atenção de investigadores, que passaram a persegui-lo. John Stonehouse foi visto, inclusive, lendo jornais sobre a morte dele mesmo (narcisismo aparenta ser um tema recorrente aqui). Ele foi preso em 24 de dezembro do mesmo ano.

1 – John Darwin não contava com a astúcia do Google

John Dawin and Anne Darwin in Panama

Diferente de Stonehouse, John Darwin não queria apenas fugir das dívidas quando decidiu forjar a própria morte – ele também queria o dinheiro do seguro de vida para poder viver com mais conforto. Em 21 de março de 2002 ele foi visto praticando canoagem, e, mais tarde, não compareceu ao trabalho. Uma busca foi realizada mas só encontraram uma canoa quebrada. O que ninguém sabia na época era que Darwin estava vivendo no puxadinho da sua própria casa, apenas esperando Anne Darwin, sua esposa, conseguir o dinheiro do seguro.

O casal viveu praticamente de férias durante cinco anos, aproveitando o dinheiro do seguro para viajar e fazer investimentos – o que chega a ser espetacular devido ao descuido que os dois tinham em manter segredo. Certa vez um inquilino de sua esposa o avistou, ao que Darwin simplesmente o pediu para não contar a ninguém. Ele chegou a usar “John Jones” e “John Williams” como nomes falsos, o que prova o total relaxamento do sujeito em bolar nomes convincentes.

No entanto, o pior erro foi o que revelou a farsa dos dois para o mundo: ao comprar uma casa no Panamá, o casal aceitou que uma foto deles fosse tirada (essa aí de cima), e pouco tempo depois ela estava disponível no site Move To Panama. Resultado: não demorou muito até que alguém jogasse os termos “john”, “anne e “panama” no Google Imagens para encontrar o casal mentiroso.

Gosta de listas? Então acho que você vai gostar ler 5 considerações sobre o Rio de Janeiro e também 3 dicas para melhorar sua experiência de uso no Facebook!

Anúncios

Uma ideia sobre “3 pessoas que tentaram falsificar as próprias mortes (sem sucesso)

  1. Pingback: Invocação do Mal 2 | Um competente mais do mesmo | Mente Sem Fio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s