Wi-Fi pública em Recife – A lenda

wifilogo

Façamos um pequeno exercício de imaginação: Manuel é um turista em Recife, veio para cá atraído pelas belezas naturais e pela rica cena cultural da cidade. Manuel, animado, resolveu ir num lugar que une essas duas coisas, o Marco Zero! Chegando lá, admirou-se com a vista e resolveu tirar uma foto no seu smartphone. “Que legal, vou postar no meu Insta!”, pensou ele, animado. Mas o destino não estava ao ser favor naquele dia: não havia sinal de 3G! E agora, Manuel? “Já sei! Como aqui é um grande ponto turístico, certeza que deve ter sinal de wi-fi por aqui”. Ledo engano, ó pobre turista. Manuel, resignado, teve que voltar ao seu hotel para enfim publicar suas fotos na rede social dos filtros duvidosos.

Antoine de Saint-Exupéry já dizia que “o essencial é invisível aos olhos”. Ele não escreveu pensando nisso, mas essa afirmação é especialmente válida no caso da internet sem fio, maravilha tecnológica que nos permite acessar a rede mundial de computadores (alguém ainda usa esse termo?) sem depender dos malditos cabos.

A tecnologia wi-fi pode ser uma grande aliada na promoção turística de uma cidade. Atualmente, em Recife, o acesso à internet wireless é comum apenas em estabelecimentos privados (shoppings, hotéis, restaurantes) – ou seja, os empresários já perceberam o quanto essa pode ser uma ferramenta poderosa. Quando chegará a vez do governo municipal?

Fui para Manaus em julho. Lá não tem mar, mas num dos rios próximos da cidade tem uma orla tão bonita quanto a de qualquer cidade litorânea, e com o bônus de ter muitas árvores em volta. Bem perto da orla tem uma praça bastante arborizada, quase como uma pequena floresta perdida no centro urbano de Manaus, inclusive com animais – cheguei a avistar um enorme bicho-preguiça, e muita gente tirou fotos. E sabe o que mais? Tem internet sem fio nessa praça! Todo mundo que tava tirando foto podia imediatamente divulgar para os amigos as belezas naturais do Amazonas. Uma ação simples, discreta (não atrapalha as belezas naturais), e ainda serve de publicidade gratuita para a região.

Outras cidades cidades brasileiras também estão ligadas nos benefícios da conexão wireless. São Paulo entrou na onda no início do mês, oferecendo wi-fi grátis na praça Dom José Gaspar. Numa cidade movimentada e ultraconectada como SP algo assim já deveria ter sido implementado há tempos, mas antes tarde do que nunca. E engana-se quem pensa que isso é luxo de capitais: os moradores do bravo município de São Jorge do Patrocínio, no interior do Paraná, podem acessar a internet pública em cinco locais desde o início do mês.

Dois recifenses procurando sinal

Dois recifenses procurando sinal

Até tem um projeto de wi-fi pública aqui em Recife. O prefeito Geraldo Júlio foi para Brasília em janeiro bater um papo com Paulo Bernardo, o ministro das Comunicações. O tal projeto, chamado de Recife-Digital e orçado em imensos R$ 47 milhões e 980 mil, prevê a cobertura de 80% da cidade pelo sinal. Mas… ainda não está suficientemente claro se essa internet será para uso geral ou apenas para serviços públicos (problemas no trânsito, iluminação pública, etc). E quem quer alguma resposta vai ter que continuar procurando, pois desde janeiro que nada é dito sobre esse projeto.

Enquanto isso, ficamos a ver navios – e sem nem um wi-fizinho pra distrair.

Anúncios

Uma ideia sobre “Wi-Fi pública em Recife – A lenda

  1. Marcelo Barros Pereira

    Tudo muito bem colocado, Pedro Ivo. Também não é demais lembrar (e reconhecer) que Recife foi a sede que passou a pior imagem durante a Copa das Confederações. Se desejamos apagar a má impressão e aproveitar melhor do fluxo de turistas durante a Copa da Fifa, temos que tratar de “correr atrás” e exibir iniciativas que justifiquem, ao turista reticente, arriscar-se na nossa cidade Mauricéia. Não adianta megalomanias. Iniciativas simples e práticas são muito mais passíveis de sucesso, ainda mais em tempo tão curto. Pequenas providências e vontade política podem promover eficazmente a imagem de uma cidade que até agora não foi vista. Moradores e turista esperam por uma cidade mais limpa, mais segura, mais amistosa, mais acessível e mais conectada – elementos que chamam a atenção e definem a decisão do pragmático turista do século XXI. O IBEU (Índice de Bem-Estar Urbano) divulgado hoje pelo INCT Observatório das Metrópoles, coloca o Recife no antepenúltimo lugar entre os 15 maiores conglomerados urbanos do país. Então a lista dos pontos a atacar já está pronta. É só os Srs. Prefeito, Governador e demais responsáveis(?) se debruçarem e mostrarem serviço e interesse IMEDIATAMENTE!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s